Acompanhe  10 fantásticos Livros sobre Cooperação internacional

N. 1
DIREITOS FUNDAMENTAIS E COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL
  • DENISE NEVES ABADE
  • SARAIVA
  • eBook Kindle
  • Português
SaleN. 2
Cooperação Jurídica Internacional Vertical
  • Luiz Fabrício Thaumaturgo Vergueiro
  • Publisher: Quartier Latin
  • Edition no. 1 (01/01/2016)
  • Capa comum: 271 pages
SaleN. 3
Cooperação jurídica internacional em matéria penal - 1ª edição de 2012: eficácia da prova produzida no exterior
  • Fábio Ramazzini Bechara
  • Publisher: Saraiva
  • Edition no. 1 (11/29/2012)
  • Capa comum: 216 pages
SaleN. 4
Cooperação Jurídica Internacional
  • Milton Fornazari Júnior
  • Publisher: Lumen Juris
  • Edition no. 2 (08/03/2017)
  • Capa comum: 132 pages
N. 5
Bric: Brasil, Rússia, Índia, China E África Do Sul - Uma Perspectiva De Cooperação Internacional
  • Paulo Borba Casella
  • Atlas
  • Capa comum
  • Edition no. 1 (01/01/1970)
  • Português
N. 6
Equipes Conjuntas de Investigação na Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Penal
  • Isac Barcelos Pereira de Souza
  • Publisher: Editora Juspodivm
  • Edition no. 1 (05/13/2019)
  • Capa comum: 224 pages
N. 7
LAVAGEM DE DINHEIRO E COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL
  • MARCIO ADRIANO ANSELMO
  • SARAIVA
  • eBook Kindle
  • Português
N. 8
Coleção Sinopses Jurídicas - Direito Internacional - Público, Privado e Comercial - v. 33
  • Diego Araujo Campos e Fabiano Tavora
  • Saraiva
  • eBook Kindle
  • Edition no. 6 (12/28/2018)
  • Português
N. 9
Temas de Direito Penal Internacional
  • Carlos Eduardo Japiassú
  • Jorge Luis Fortes Pinheiro da Camara
  • eBook Kindle
  • Edition no. 1 (02/15/2015)
  • Português
SaleN. 10
Tráfico Internacional de Pessoas e Cooperação Internacional
  • Sarah Maria Veloso Freire
  • Publisher: Lumen Juris
  • Edition no. 1 (09/28/2017)
  • Capa comum: 212 pages

Aprenda mais sobre o tema:

Multilateralismo é um termo nas relações internacionais que se refere a vários países trabalhando em conjunto sobre um determinado tema.

Seja na forma de associação numa aliança ou dentro de uma instituição internacional, o multilateralismo é necessário para vincular os excessos de poder, inibir o unilateralismo e permitir aos poderes menores o espaço de fala e oportunidades de voto os quais não seriam possíveis de outra forma. Especialmente se uma potência menor anseia pelo controle sobre uma potência maior, através da estratégia Lilliput de associação coletiva de pequenas nações, se mostra a alternativa mais eficaz de alcançar o controle compelindo a potência maior. Similarmente, se uma potência maior busca o controle de maneira que vá de encontro com os interesses de uma outra grande potência, nesses casos abordagens multilaterais também são mais indicadas. A potência em questão poderia procurar suporte em laços bilaterais, mas seriam de custo alto; Exigiria barganhar e se comprometer com a outra potência. Incorporar o Estado-alvo numa aliança multilateral reduz os custos originados da meta estabelecida, mas também oferece os mesmos benefícios de associação da estratégia Lilliput. Além do mais, no caso de uma potência de pequeno porte procura dominar sobre uma outra potência de poucos recursos, o multilateralismo talvez seja a única opção, porque potências fracas raramente possuem recursos para exercer controle sozinhas.[1]