Confira  dez mais comprados Livros sobre Conciliação

N. 1
Negociação, Mediação, Conciliação e Arbitragem
  • Carlos Alberto de Et Al. Salles
  • Forense
  • eBook Kindle
  • Edition no. 3 (10/21/2019)
  • Português
SaleN. 2
Arbitragem - Mediação, Conciliação e Negociação
  • Luiz Antonio Scavone Junior
  • Publisher: Editora Forense
  • Edition no. 9 (02/01/2019)
  • Capa comum: 360 pages
N. 3
Conciliação Humanista: Uma proposta de metodologia de resolução de conflitos
  • Nayara Queiroz Mota de Sousa
  • EDUEPB
  • eBook Kindle
  • Edition no. 1 (01/16/2018)
  • Português
SaleN. 4
Mediação, Conciliação e Arbitragem
  • Publisher: Editora FGV
  • Edition no. 1 (01/01/2016)
  • Capa comum: 312 pages
N. 6
Conciliação E Mediação Pela Administração Pública - 2019
  • Geisa Rosignoli Neiva
  • Publisher: Lumen Juris
  • Capa comum: 200 pages
N. 7
Negociação, Mediação, Conciliação e Arbitragem - Curso de Métodos Adequados de Solução de Controvérsias
  • Carlos Alberto de Salles, Marco Antônio Garcia Lopes Lorencini, Paulo Eduardo Alves da Silva
  • Publisher: Editora Forense
  • Edition no. 2 (01/04/2019)
  • Capa comum: 304 pages
SaleN. 8
A negociação ética para agentes públicos e advogados - mediação, conciliação, arbitragem, princípios
  • Márcia Amaral Corrêa De Moraes, Paulo Valério Dal Pai Moraes
  • Publisher: Fórum
  • Edition no. 1 (01/01/2011)
  • Capa comum: 244 pages
SaleN. 9
Manual de Negociação, Conciliação, Mediação e Arbitragem. Introdução às Soluções Adequadas de Conflitos
  • João Jose Custodio da Silveira
  • Publisher: Letramento
  • Edition no. 1 (08/10/2018)
  • Capa comum: 290 pages
N. 10
Arbitragem: Mediação, Conciliação e Negociação
  • Luiz Antonio Scavone Jr.
  • Forense
  • eBook Kindle
  • Edition no. 10 (02/20/2020)
  • Português

Conheça mais sobre o assunto:

A Conciliação é um método utilizado em conflitos mais simples, ou restritos, no qual o terceiro facilitador pode adotar uma posição mais activa, porém neutra com relação ao conflito e imparcial. É um processo consensual breve, que busca uma efetiva harmonização social e a restauração, dentro dos limites possíveis, da relação social das partes. [1]

Na conciliação, não existem vencedores nem perdedores. São as partes que constroem a solução para os próprios problemas, tornando-se responsáveis pelos compromissos que assumem, resgatando, tanto quanto possível, a capacidade de relacionamento. Nesse mecanismo, o papel do juiz não é menos importante, pois é aqui que ele cumpre sua missão de pacificar verdadeiramente o conflito.[2]